Arquivo do mês: março 2013

CHIA – Uma sementinha do bem!

Muita gente pensa que a chia (Salvia hispânica L.)  é um alimento útil apenas nas dietas de emagrecimento, graças à fama que essa sementinha ganhou entre aqueles que brigam com a balança. Ledo engano! Esse grão (original do México e da Colômbia) é, sim, útil nesses casos, mas pode fazer bem mais que isso pela sua saúde, pois tem alto valor nutritivo – é uma semente riquíssima em Ômega 3 e 6, fibras, cálcio, magnésio, potássio e proteínas – e auxilia no combate a diversas doenças.

A chia pode ser encontrada na forma de grãos, óleo ou farinha. Suas propriedades são conservadas mais intactas quando em forma de grãos, que podem sem consumidos com um pouco de água ou adicionados em sopas, sucos, vitaminas, bolos etc. Já o óleo, embora conserve os ácidos graxos ômega 3 e ômega 6, tem a desvantagem de deixar de lado as fibras. Porém, é uma boa alternativa para temperar saladas e, até mesmo, colocar em sopas. Há também a farinha de chia, que pode também ser inserida na alimentação em sopas, bolos e outros pratos do dia a dia.

Veja, a seguir, alguns dos benefícios que ela oferece.

1 – É útil em dietas de emagrecimento – Por ser fonte de fibras solúveis, as quais formam um composto gelatinoso  no estômago, tornando a digestão mais lenta, aumenta a sensação de saciedade. Isso reduz o apetite, auxiliando também na manutenção do peso ideal.

2 – Auxilia no controle do diabetes – Seu alto teor de fibras contribui para o aumento da sensibilidade ao hormônio insulina, melhorando a glicemia após a refeição. As fibras fazem que a absorção dos açúcares pelo intestino seja mais lenta, e isso ajuda muito no controle da glicemia (açúcar no sangue).

3 – Reduz o risco de doenças  cardiovasculares – O sobrepeso, por si, já é fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Pesquisadores concluíram que o grão melhora a sensibilidade à insulina e reduz a gordura visceral, o que representa proteção contra doenças cardiovasculares.

4 – Possui ação anti-inflamatória – É fonte de ômega 3 (ácido linolênico), que combate inflamações. A revista Annals of Nutrition and Metabolism publicou em 2007 um estudo (AYERZA, R; COATES, W.) que indicou que a dieta com chia, na forma de grão ou óleo, aumenta os níveis plasmáticos de ácidos graxos ômega 3.

5 – Tem ação antioxidante –  Seus compostos bioativos combatem a ação dos radicais livres, os quais provocam algumas doenças e o envelhecimento precoce.

6 – Ajuda a controlar a pressão arterial, porque contém ômega 3, que auxilia no combate à hipertensão.

7 – Favorece o bom funcionamento do cérebro – A presença do ômega 3 também traz esse benefício, podendo melhorar a memória e reduzir sintomas de depressão e ansiedade.

8 – Promove boa saúde intestinal, combatendo a constipação  – Isso graças à boa quantidade de fibras que fornece.

9 – Boa fonte de proteínas vegetais – Recomendada, por isso, na dieta de atletas e pessoas vegetarianas.

Precisa de mais motivos para incluí-la na sua alimentação?

Eu já a consumo todos os dias para enriquecer meu café da manhã. Adiciono uma colher de sopa em um copo de água, espero  a mistura ficar gelatinosa e então bebo. Fácil assim!

 

(por Esther Alcântara)

Anúncios

Telhas de garrafa Pet – Ideia sustentável

Telha de Garrafa PET 228x300 Telha de Garrafa PET

Quando encontrei este “passo a passo” sobre telhas de garrafas pet (http://www.artesanatopassoapassoja.com.br/como-fazer-telhas-de-garrafa-pet/), fiquei pensando na utilidade e na solução que representa essa ideia.

Penso que realmente pode ser uma alternativa excelente não apenas para quem precisa de uma estufa ou um quartinho protegido no quintal, mas, mais ainda, para quem realmente não tem condições financeiras de construir um cantinho para viver com os materiais tradicionais.

Sabe-se que esse material não é perfeito para moradias, por questões como a térmica, visto que aquece muito. Por outro lado, seus aspectos térmicos podem ser úteis, por exemplo, para o aquecimento de água nas residências.

Imagine uma casa em que até as cores das pets fossem pensadas e aproveitadas. A luminosidade das garrafas incolores onde a luz é necessária economizaria energia, não acham? Por outro lado, garrafas escuras ou pintadas ficariam bem nos quartos.

É triste saber que o destino dessas garrafas na maior parte das vezes é o lixo, ao ver essas possibilidades claras de resolver a vida de muita gente de maneira altamente sustentável.

Precisamos repensar nossos processos de reciclagem. O caso das garrafas pet é um exemplo clássico em que a reciclagem comum tem alto custo e é antiecológica, por mais paradoxal que pareça, já que gasta muita energia elétrica no derretimento e nos novos reaproveitamentos do material.

Portanto, ideias boas como essa  precisam ser mais divulgadas. E é necessário que busquemos apoio tanto do governo quanto da iniciativa privada para o seu aprimoramento,  a fim de resolver seus aspectos negativos e aproveitar com sabedoria seus aspectos positivos.

(por Esther Alcântara)